5 de jul de 2011

Para atriz de "Rebelde" Lua Blanco, a novela quebrou o tabu e tem uma ótima versão brasileira.


É comum que, em folhetins infanto-juvenis, os atores escolhidos se aproximem muito das características de seus personagens. Para Lua Blanco, intérprete da Roberta de "Rebelde", da Record, não é diferente. Bastam poucos minutos de conversa com a atriz para perceber que é apenas sua maturidade que a separa do papel. "Tenho de observar para ter uma postura adolescente por conta dos 17 anos dela. A minha cara de criança também ajuda", ressalta Lua, de 23 anos.

Além de se adaptar à realidade mais "teen", Lua também precisou lidar com comentários pejorativos por estar em um "remake" de novela mexicana. Segundo a atriz, no começo do folhetim as comparações com o original da Televisa eram constantes e parte do público demorou a enxergar a produção como uma novela brasileira. "Acredito que quebramos um pouco do preconceito e mostramos que o sucesso mexicano poderia ganhar uma ótima versão nacional. Trabalhamos muito, tanto na atuação como nas apresentações musicais", garante.

Pop Tevê – A banda do folhetim está cada vez mais em evidência e em breve vocês começarão com as apresentações. Acredita que já ter participado de um grupo musical - o Lágrima Flor - facilita o seu trabalho?
Lua Blanco
   Apesar da experiência, a banda de "Rebelde" é diferente e exigiu outro tipo de preparação. Claro que já conhecer bem os bastidores da música me ajudou. Mas não foi suficiente. Foram muitas coisas juntas: interpretação, corpo, teatro, canto, enfim, meses de preparação intensiva. Nem tem como contar. Quando a gente viu, já tinham passado dois meses e estávamos com outra condição física e mental. Além disso, também tive de me afastar da minha banda e não tenho como garantir o que vai acontecer no futuro.

Pop Tevê – No começo, muito se comparou "Rebelde" com "Alta Estação", outra tentativa da Record de abocanhar o público jovem, mas que não emplacou por conta do ibope. Você se preocupa com a audiência?
Lua Blanco
 –
Expectativa é algo muito perigoso. Eu não entro em projetos contando com variáveis que não posso prever. Foco no que me cabe agora. Pensar em audiência e tempo de duração não é a minha. Me concentro para fazer o que eu tenho de fazer. O que vem é resultado desse trabalho. Acho que se rolar uma continuação por conta da satisfação da emissora e do público, é trabalho. Gosto muito do personagem e torço para que isso aconteça. Adorei a Roberta e não terei problema nenhum em me estender ali. Estou focada nisso e enquanto durar o projeto estou dedicada a ele.
Pop Tevê  Hoje é possível ver na porta do Recnov - complexo de estúdios da Record - fãs adolescentes com presentes e máquinas fotográficas esperando por vocês. Como você lida com esse assédio caloroso do público "teen"?
Lua Blanco
 –
Adoro! A repercussão positiva indica que estamos fazendo um bom trabalho. Não tenho frescuras e não sou do tipo que não gosta de saber o que o telespectador pensa. O público é o termômetro e o respeito muito. Sendo adolescente, maduro ou infantil. Esse carinho me faz ter uma satisfação enorme. E não me incomoda em nada dar atenção para quem está aqui nos esperando para falar sobre o trabalho que eu me esforço bastante para fazer muito bem.

Pop Tevê – Você é neta do músico Billy Blanco e a maioria dos seu irmãos optaram também pela atuação. Existe algum tipo de concorrência em casa?
Lua Blanco 
Nos apoiamos muito. A rivalidade maior que poderia ter é com a Ana Terra, minha irmã que está em "Malhação". Mas a gente é muito amiga. Estamos nesse caminho juntas. A gente começou na música e entramos na mesma época. Fiquei em cartaz com a Estrela, minha outra irmã, com a peça "O Despertar da Primavera". Com a Terra, eu troco muita figurinha e estamos crescendo na profissão. Levamos numa boa isso e não pensamos em competição.
Fonte: UOL.

Nenhum comentário:

Postar um comentário